Após morte de criança de 5 anos picada por escorpião e repercussão do ocorrido em rede social, o Centro de Saúde São João Batista emitiu uma nota explicando a sua atuação diante o caso.

Diferente do que está sendo compartilhado por alguns perfis na rede social Facebook, as informações na nota de esclarecimento informa que, todos os protocolos indicados para o atendimento da picada de escorpião na criança foram realizados, inclusive  a aplicação do soro antiescorpiônico.

Soro antiescorpiônico disponível no Centro de Saúde São João Batista
Soro antiescorpiônico disponível no Centro de Saúde São João Batista

Lembrando que, a publicação de notícia sabidamente inverídica (fake news) no intuito de ofender a honra de alguém poderá caracterizar um dos tipos penais dos arts. 138, 139 e 140, todos do Código Penal, cumulados com a majorante do art. 141, III, do Código Penal, a depender do caso concreto; a veiculação de fake news, quando o agente visa dar causa à instauração de procedimento oficial contra alguém, imputando-lhe crime de que o sabe inocente, poderá configurar o delito de denunciação caluniosa, tipificado no art. 339 do Código Penal.

Soro antiescorpiônico do Centro de Saúde São João Batista
Soro antiescorpiônico do Centro de Saúde São João Batista

Confira a nota na íntegra:

O Centro de Saúde São João Batista vem a público esclarecer que não houve negligência no atendimento a uma criança que acabou falecendo por causa de uma picada de escorpião.

O paciente deu entrada  no centro de saúde por volta das 5 horas da manhã, com relato de picada de escorpião no dedo do pé, segundo a mãe a picada aconteceu cerca de 3 horas da manhã e durante o percurso, a criança apresentou vários episódios de vômitos. Ao chegar no centro de saúde, a criança foi rapidamente atendida e observado pelo médico apresentando sonolência e sudorese, sendo então indicado o tratamento adequado que são: anestesia no local da picada, corticoide venoso que é uma preparação para a administração do soro  antiescorpiônico , e após a espera do efeito do corticoide, por volta das 6 horas da manhã, o soro  já tinha sido administrado, a criança apresentou normalização do quadro e permaneceu de observação como indica o protocolo. Durante a observação a criança apresentou piora do quadro a equipe médica solicitou a transferência para Vitória da Conquista, após a autorização a criança foi levada, porém, no caminho ocorreu uma parada cardíaca, sendo então reanimada e entubada, mas infelizmente veio a óbito.

Todos os protocolos indicados para o atendimento de picada de escorpião na criança foram realizados, é uma grande infelicidade essa tragédia, não podemos imaginar o sofrimento da mãe e demais familiares, nesse momento apenas Deus pode confortar os corações dessa família, nossos profissionais da saúde sempre dão o seu melhor para tentar curar, aliviar é salvar, porém certas vezes mesmo com todo esforço não conseguem êxito. Nossos sinceros sentimentos em nome de toda equipe de saúde.

Diretor: Plauto Leandro Marques Brito