Petrobras eleva preços do gás de cozinha para residência e indústria

 

A Petrobras anunciou reajuste médio de 5% no preço do gás de cozinha (GLP) para as residências, em botijões de 13 quilos, e de 3% no produto para os consumidores industriais e comerciais (embalagens acima de 13 quilos), a partir desta terça-feira, 22, nas refinarias da petroleira. O último reajuste havia sido feito em 5 de agosto. De acordo com a Veja, os aumentos são médias, pois o valor terá variação, para maior ou menor, dependendo da área de distribuição nacional.

O reajuste para o consumidor final poderá ser diferente, pois as distribuidoras acrescem ao percentual de aumento os custos com mão de obra, logística, impostos e margem de lucro. O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) estimou que o aumento residencial oscilará entre 4,8% e 5,3%, enquanto o GLP industrial terá variação de 2,9% a 3,2%, dependendo do polo de suprimento.

“A diferença de preço entre o GLP empresarial e o residencial está praticamente igual, o que é um bom sinal para o mercado”, afirmou, em nota, o sindicato. Com o reajuste, o preço médio do botijão de 13 quilos nas refinarias passará de 24,06 reais para 25,26 reais. A Petrobras entrega o GLP para ser envasado pelas distribuidoras. Já o gás industrial passará a custar 2.009,34 reais por tonelada. Deste agosto, o produto era vendido por 1.950,80 reais por tonelada nas refinarias da estatal. Os preços são para pagamentos à vista e sem os tributos.