O motorista que usar o celular ao volante agora será penalizado de maneira mais rigorosa, já que a infração deixará de ser enquadrada como média. A partir de 1º de novembro, será considerada gravíssima, quando tambémserão reajustados os valores das multas. Quem desrespeitar a lei (art nº 252 do CTB) receberá 7 pontos na CNH, além de multa de R$ 293,47.

De acordo com Roberta Mantovani, especialista em segurança no trânsito e responsável pela área de educação do Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), as distrações ao volante abrangem quatro dimensões. São elas:

Visuais — Quando o condutor desvia o olhar da via para realizar outra tarefa que não seja dirigir, como pegar algo no porta-luvas, trocar a estação do rádio ou virar a cabeça para trás para olhar a criança no banco traseiro;

Cognitiva — Ao pensar sobre algum assunto quando está ao telefone, retardando a reação frente alguma condição adversa de trânsito, como no caso de uma criança aparecer inesperadamente na frente do carro. Esse “desligamento momentâneo” pode causar um acidente;

Física — Ocorre quando o motorista tira uma das mãos do volante para discar um número no telefone ou digitar uma mensagem de texto. As duas mãos no volante são cruciais para efetuar manobras de emergência;

Auditiva — A atenção do condutor se volta para os sons do telefone, provocando perda de percepção auditiva de uma sirene ou buzina de outro veículo.

Fonte: Quatro Rodas