Primeiro suplente do Patriotas nas eleições de 2018, Josafá Marinho poderá assumir uma cadeira na Assembleia Legislativa da Bahia após a publicação do acórdão da decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) desta terça-feira (2), que cassou o mandato de deputado estadual Tom (PSL). A decisão, no entanto, cabe recurso ao Supremo Tribunal Federal (STF).

O Pastor Tom, que também é presidente do Fluminense de Feira, se elegeu pelo Patriotas, mas saiu da legenda no ano passado para ingressar no PSL.

Advogado e cantor gospel, Josafá Marinho tem 46 anos e é natural de Jânio Quadros, no Sudoeste da Bahia. Porém, ele reside em Salvador desde 1994. Josafá já coordenador do Escritório Federal da Agricultura e da Pesca na Bahia e também do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs).

Na eleição de 2018, Josafá obteve 28.520 votos, enquanto o Pastor Tom recebeu 29.355 sufrágios.

FALTA DE FILIAÇÃO
De acordo com os advogados Luiz Viana e Mauro Menezes, a cassação do mandato de Pastor Tom foi resultado da falta de filiação partidária à época do registro da candidatura.

Os advogados de Josafá Marinho argumentaram que houve fraude praticada pelo parlamentar cassado, que ocultou da Justiça Eleitoral o exercício do mandato de vereador em Feira de Santana.

Fonte: Bahia Notícias